Contactos
🟠 CFLO - Escola Secundária de Azambuja 2054-909 Azambuja
🟢 263 409 334

Oferta Formativa

Consulte informações sobre a oferta formativa

Documentos

Consulta e download de documentos e formulários.

Legislação

Consulte a legislação em vigor

1- Consulte o Plano de Formação 2023  AQUI

 

2-Clique na imagem seguinte e aceda ao Moodle do CFLO

Moodle do CFAE Lezíria-Oeste

 

DIVULGAÇÃO

198

Capacitação Digital de Docentes – Nível 2
Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Oficina

 

50.0 horas

 

b-learning

 

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária de Azambuja

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um ...
Ler mais Ler menos

Ref. 135C17.12 Inscrições abertas até 06-02-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116497/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 08-02-2023

Fim: 26-04-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Azambuja

Formador

Carla Maria Carreira Cunha Soares Vicente

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Conteúdos da ação Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Metodologias

Presencial As sessões serão teórico/práticas, realizadas em regime a distância, síncronas. As metodologias incluirão método expositivo, demonstrativo, interrogativo e ativo, resolução de problemas e realização de trabalhos práticos. Haverá abordagem teórica; Planificação da ação a realizar; Adaptação da atividade ao contexto de cada professor; Aplicação da atividade por cada professor; Análise dos processos e dos produtos; Avaliação do trabalho desenvolvido; Conclusões. Momentos de reflexão teórica, debate, realização de atividades por parte dos formandos e apresentação e discussão conjunta das produções obtidas configura espaços de partilha de experiência sobre a aplicação da proposta, sendo feita a sua análise em termos práticos e teóricos. Trabalho autónomo Adaptação das atividades construídas de forma a se adequar ao contexto de cada docente. Em seguida, haverá a aplicação na sala de aula de cada professor dessas atividades. Os formandos terão suporte dos formadores online se necessário. Reportarão depois a forma como decorreu a aplicação dessas atividades nos seus contextos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm; Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legalcontent/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora; Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf; Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-02-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 15-02-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 01-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 08-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
5 15-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 22-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 29-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 19-04-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
9 26-04-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 19:00 1:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

198
217

Avaliação Pedagógica II: Projetos de Intervenção nos domínios do ensino, aprendizagem e avaliação

Oficina

 

50.0 horas

 

b-learning

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Básica Fernando Casimiro Pereira da Silva

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao ...
Ler mais Ler menos

Ref. 147C10.1 Inscrições abertas até 10-02-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118447/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 13-02-2023

Fim: 27-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Básica Fernando Casimiro Pereira da Silva

Formador

Elvira Felicidade Ferreira Rodrigues Tristão

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Lezíria-Oeste

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Deste modo, visa-se capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos, promovendo-se ainda a implementação e análise dos mesmos, tendo em vista o seu aperfeiçoamento ou reformulação.

Objetivos

• Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; • Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula; • Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; • Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; • Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 3 horas; 3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 3 horas; 4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores-alunos - 3 horas; 5. Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 3 horas; 6. Processos de recolha de informação - 3 horas; 7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos de intervenção desenvolvidos no âmbito da oficina - 7 horas.

Metodologias

Presencial Nas sessões presenciais os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de projetos e de materiais para a respetiva implementação em contexto real de aprendizagem, assim como a reflexão crítica, a par e passo, sobre os resultados obtidos e as mudanças que deverão ser adotadas. Trabalho autónomo O trabalho autónomo pretende-se que seja realizado em contexto real de aprendizagem com o desenvolvimento e a aplicação dos projetos pedagógicos e didáticos, assim como dos materiais elaborados numa lógica de investigação-ação, sendo criada uma comunidade de prática. Neste âmbito, os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da análise de instrumentos e melhoria de materiais para a respetiva implementação em contexto real de aprendizagem, assim como a reflexão crítica, a par e passo, sobre os resultados obtidos e as mudanças que deverão ser adotadas.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Bibliografia

Fernandes, D. (2021). Para uma fundamentação e melhoria das práticas de avaliação pedagógica no âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para a Conceção e Elaboração do Projeto de Intervenção no Âmbito do Projeto MAIA. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Fernandes, D. (2021). Para um enquadramento da formação de professores. Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Machado, E. A. (2021). Feedback. Folha de apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Wenger, E. (1998). Communities of practice: Learning, meaning, and identity. Cambridge University Press.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-02-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 16-02-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 27-02-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 02-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 06-03-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
6 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 13-03-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 27-03-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

217
219

Criação de ambientes de aprendizagem inclusivos e inovadores

Oficina

 

50.0 horas

 

b-learning

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Básica Marcelino Mesquita do Cartaxo

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem umenorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todossão parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma ...
Ler mais Ler menos

Ref. 144C7.3 Inscrições abertas até 10-02-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116315/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 13-02-2023

Fim: 15-05-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Básica Marcelino Mesquita do Cartaxo

Formador

Ana Isabel Nunes Mendes Mata

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem umenorme desafio para novas/os práticas pedagógicas, interfaces comunicativas, fundamentos humanistas em que todossão parte do sistema e desenvolvem um diálogo igualitário, um pensamento e uma consciência próprios. Assim, há quecriar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha orientem os agenteseducativos para a inclusão. Esta formação procura apoiar a operacionalização de práticas pedagógicas inclusivas para que os alunos sejam melhoresaprendentes e o professor melhor ensinante, definindo com maior acuidade as ações bem como as evidências aidentificar em contexto de sala de aula. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

• Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída daEscolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificandoimplicações para a organização de práticas mais inclusivas • Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagemmultinível • Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens adesenvolver e a diversidade de todos alunos • Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão. • Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar – Planear – Agir - Rever • Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens • Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo • Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas • Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018, Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas • Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos • Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA) Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos • Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico • O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem • Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino

Metodologias

Presencial A metodologia de formação é de cariz teórico-prática, propondo-se dinâmicas que visam encorajar o envolvimento dos participantes em atividades de aprendizagem, partilha e reflexão sobre a temática, com vista à otimização e concretização dos objetivos propostos para esta ação de formação, em regime de frequência b-learning, nomeadamente: - Apresentação de conteúdos e conceitos; - Partilha de experiências; - Trabalho(s) de grupo; - Reflexão e debate de ideias; Trabalho autónomo No desenvolvimento do trabalho autónomo pretende-se que os formandos apliquem instrumentos e conhecimentos adquiridos, no âmbito da formação, em contexto escola/sala de aula, tendo presente o ciclo: avaliar o contexto, planear, aplicar, rever, ajustar. Trabalho autónomo (25h)

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

DGE (2018), Para uma educação inclusiva: Manual de Apoio à Práticahttps://www.dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf Acesso 02/02/2022 Cosme, A., Lima L., Ferreira D., Ferreira N. (2021), Metodologias, métodos e situações de aprendizagem: propostas e estratégias de ação : ensino básico, ensino secundário,1ª ed. - Porto: Porto Editora. European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2018), Key Actions for Raising Achievement, Guidance for Teachers and Leaders • Disponível em https://www.european-agency.org/sites/default/files/Key%20Actions%20for%20Raising%20Achievement.pdf Acesso 02/02/2022 Fernandes, D. (2021). Para uma Fundamentação e Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica no Âmbito do Projeto MAIA, Texto de Apoio à formação - Projeto de Monitorização, Acompanhamento e Investigação em Avaliação Pedagógica(MAIA). Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação. Acesso 02/02/2022 UNESCO (2022). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO – IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education Acesso em 02/02/2022

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-02-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 27-02-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
3 06-03-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 20-03-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
5 27-03-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
6 17-04-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
7 24-04-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
8 15-05-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

219
215

O potencial didático da Mitologia no ensino da História, Filosofia e Português
Grupo de recrutamento 200, 300, 400 e 410

Curso

 

25.0 horas

 

e-learning

 

Grupo de recrutamento 200, 300, 400 e 410

Online- Zoom ou Teams

Desde os tempos mais recuados da nossa história que as comunidades humanas aprenderam valor e a importância de“passar o testemunho” de geração em geração. Talvez para isso tenham inventado a História, para passar essetestemunho. Ignorar esta função da História é negar a própria História. Destacar-se-á ...
Ler mais Ler menos

Ref. 149-C12-1 Inscrições abertas até 13-02-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117177/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-02-2023

Fim: 19-04-2023

Regime: e-learning

Local: Online- Zoom ou Teams

Formador

Celia da Conceição Rodrigues Morgado Pereira

Destinatários

Grupo de recrutamento 200, 300, 400 e 410

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Grupo de recrutamento 200, 300, 400 e 410. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Grupo de recrutamento 200, 300, 400 e 410.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Lezíria-Oeste

Razões

Desde os tempos mais recuados da nossa história que as comunidades humanas aprenderam valor e a importância de“passar o testemunho” de geração em geração. Talvez para isso tenham inventado a História, para passar essetestemunho. Ignorar esta função da História é negar a própria História. Destacar-se-á assim, o potencial didático dos mitose das lendas na educação, defendendo uma prática pedagógica que valorize e potencie o pensamento imaginário dosnossos alunos, através da apresentação de alguns princípios e orientações metodológicas serão fundamentais para a suautilização nas aulas de História. Procura-se nesta oficina facilitar abordagens metodológicas para a utilização destasnarrativas em contexto de sala de aula, através da apresentação de cinco intervenções educativas distintas que exploramde forma mais ou menos criativa alguns dos mitos e das lendas que encontramos nos nossos programas de História,Filosofia e Português do Ensino Básico e Secundário. Por outro lado, a diversidade de estratégias de aprendizagemutilizadas, combinadas com a seleção criteriosa de um conjunto de recursos didáticos ajustados às características dosalunos e às temáticas abordadas, permitirá criar as condições para que os alunos realizem aprendizagens significativas.Serão utilizados «Roteiros Didáticos» que permitam sistematizar os conceitos, factos históricos, espaços, datas epersonalidades mais relevantes de um determinado núcleo temático; orientar o processo de ensino e aprendizagem emtodas as suas fases: planificação, operacionalização e avaliação e garantir um elo agregador para as diversas estratégiasde aprendizagem e momentos didáticos das aulas.

Objetivos

Destacar, o potencial didático dos mitos e das lendas na educação;Apresentar e refletir sobre princípios e orientaçõesmetodológicas para o ensino da narrativa mitológica;Construção de recursos didáticos ajustados às características dosalunos e às temáticas abordadas, de forma a criar condições para que os alunos realizem aprendizagenssignificativas;Refletir sobre os conceitos de cidadania e de educação para a cidadania à luz da Estratégia Nacional deEducação para a Cidadania (ENEC), de referentes teóricos e das conceções e práticas dos docentes; Utilizarmetodologias ativas, centradas na aprendizagem vivencial da cidadania democrática e na abordagem inter, multi etransdisciplinar;Promover práticas de avaliação dos alunos adequadas a conteúdos e metodologias de educação para acidadania.

Conteúdos

1.1. Mitos e Lendas: conceitos, funções e significados 1.2. O lugar dos Mitos e das Lendas no processo de construção do pensamento histórico: narrativa implicada, cisãopositivista e o retorno à narrativa 1.3. Mitos e Lendas: a singularidade da historiografia portuguesa.1.4. O potencial didático dos Mitos e das Lendas na Educação 2.1. Mitos e Lendas: a apologia de uma pedagogia do imaginário no ensino da História 2.2. Princípios e orientações metodológicas para o uso de mitos e lendas nas aulas de História.2.3.1. Experiências de aprendizagem a partir de Mitos e Lendas 3.1. Enquadramento e opções metodológicas 3.1.1. Caracterização das turmas de regência 3.1.2. Opções metodológicas no processo de ensino e aprendizagem 3.2. Roteiros de Intervenção Educativan.º 1 – Mitos e deuses do Antigo Egito n.º 2 – A Civilização Hebraica (narrativas bíblicas) n.º 3 – Mitos e deuses da Grécia Antiga n.º 4 – As origens do Cristianismo (narrativas bíblicas)n.º 5 – A fundação da nacionalidade, a independência do Reino de Portugal e os mitos e as lendas da nacionalidade 903.3. Conceções dos alunos acerca da aprendizagem da História a partir dos mitos e das lendas

Metodologias

Nas sessões serão apresentados os conteúdos da ação de forma interativa com os formandos. Os formandos serãoorganizados por sala paralelas em grupos de trabalho. Cada grupo desenvolverá um trabalho em torno de cada temaorganizador dos conteúdos da ação. No final todos os trabalhos serão apresentados e discutidos.

Avaliação

Os/As formandos/as serão avaliados utilizando a escala de 1 a 10 valores, conforme estipulado no Despacho n.º4595/2015, de 6 de maio, recorrendo aos parâmetros de avaliação respeitando todos os dispositivos legais da avaliaçãocontínua.

Bibliografia

Abramovich, Fanny (2003), Por uma arte de contar histórias. [Internet]. Disponível emhttp://www.alemdasformulas.com/2011/06/por-uma-arte-de-contar-historias-por.htmlArmstrong, Karen (2006), Uma Pequena História do Mito. Lisboa: Editorial Teorema (ed. original 2005).Barthes, Roland (1997), Mitologias. Lisboa: Edições 70 (ed. original 1957).Burkert, Walter (1991), Mito e Mitologia. Lisboa: Edições 70.Eliade, Mircea (1986), Aspectos do Mito. Lisboa: Edições 70 (ed. original 1063).

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 15-02-2023 (Quarta-feira) 19:00 - 21:30 2:30 Online síncrona
2 22-02-2023 (Quarta-feira) 19:00 - 21:30 2:30 Online síncrona
3 27-02-2023 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 01-03-2023 (Quarta-feira) 19:00 - 21:00 2:00 Online síncrona
5 06-03-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 13-03-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 22-03-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 17-04-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 19-04-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

215
194

Capacitação Digital de Docentes – Nível 3
Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Oficina

 

50.0 horas

 

b-learning

 

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária de Azambuja

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa ...
Ler mais Ler menos

Ref. 136C18.4 Inscrições abertas até 24-02-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116496/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 28-02-2023

Fim: 23-05-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Azambuja

Formador

Sofia Luísa Estriga Seabra

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as Competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e deprocessos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras nacomunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. (3 horas) - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. (4 horas) - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. (4 horas) - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais.(4 horas) - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. (4 horas) - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. (4horas) - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação. (4 horas)

Metodologias

Presencial As sessões serão teórico/práticas, realizadas em regime a distância, síncronas. As metodologias incluirão método expositivo, demonstrativo, interrogativo e ativo, resolução de problemas e realização de trabalhos práticos. Haverá abordagem teórica; Planificação da ação a realizar; Adaptação da atividade ao contexto de cada professor; Aplicação da atividade por cada professor; Análise dos processos e dos produtos; Avaliação do trabalho desenvolvido; Conclusões. Momentos de reflexão teórica, debate, realização de atividades por parte dos formandos e apresentação e discussão conjunta das produções obtidas configura espaços de partilha de experiência sobre a aplicação da proposta, sendo feita a sua análise em termos práticos e teóricos. Trabalho autónomo Atividades construídas de forma a se adequar ao contexto de cada docente. Em seguida, haverá a aplicação na sala de aula de cada professor dessas atividades. Os formandos terão suporte dos formadores online se necessário. Reportarão depois aforma como decorreu a aplicação dessas atividades nos seus contextos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21.Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm; Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN EU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em:https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-tool Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UAEditora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels.Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-02-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona
2 07-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 14-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 21-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 18-04-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 02-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 16-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 23-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

194
216

Ensinar e aprender com novas metodologias no contexto do plano de transição digital
Professores de todos os grupos de recrutamento

Curso

 

25.0 horas

 

b-learning

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária de Azambuja

No contexto da escola atual, a OCDE incentiva a repensar a escola numa perspetiva de mudança e de modo a garantir uma educação de qualidade. Assim, é fundamental capacitar os docentes para a utilização de ferramentas tecnológicas no contexto do PTD e a disponibilização/criação de recursos diversificados. ...
Ler mais Ler menos

Ref. 150C20.1 Inscrições abertas até 06-03-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-112384/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 07-03-2023

Fim: 16-05-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Azambuja

Formador

José Augusto Duarte Costa

Maria Filomena Lopes Rúbio

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

No contexto da escola atual, a OCDE incentiva a repensar a escola numa perspetiva de mudança e de modo a garantir uma educação de qualidade. Assim, é fundamental capacitar os docentes para a utilização de ferramentas tecnológicas no contexto do PTD e a disponibilização/criação de recursos diversificados. Estes são responsáveis pela criação de janelas de oportunidade, de modo a que os seus alunos se envolvam ativamente no processo de ensino e aprendizagem e desenvolvam competências nos domínios da leitura, pesquisa, investigação, pensamento, imaginação e criatividade. Os alunos devem ter acesso a documentos multimédia - que aliem texto, imagem, vídeo, mas também documentos áudio, páginas web, documentos 3D, realidade virtual e inteligência artificial. No Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, já se aponta para a necessidade da formação de um cidadão «munido de múltiplas literacias que lhe permita analisar e questionar criticamente a realidade, avaliar e selecionar a informação, formular hipóteses e tomar decisões fundamentadas no seu dia a dia» e «capaz de pensar crítica e autonomamente [...]». Na escola do séc. XXI, que se pretende mais humana e inclusiva, tal como é definido no Art.º 3.º, do Despacho n.º 779/2019, a literacia digital assume particular importância na implementação de estratégias para a promoção do sucesso escolar.

Objetivos

• Promover a reflexão e o debate sobre as mudanças que se vêm registando no sistema educativo e nos sistemas de acesso, produção e consumo de informação, nas exigências do mundo atual e de acordo com o PADDE. • Familiarizar os docentes com características e funções de espaços digitais, promovendo a criação e implementação de espaços digitais de apoio ao currículo. • Planificar, produzir e disponibilizar conteúdos e atividades de ensino e aprendizagem que visem o desenvolvimento de competências de comunicação e expressão nas modalidades oral, escrita, visual e multimodal no contexto do PTD. • Contribuir para a autonomia dos professores na utilização dos media na construção de uma escola mais inclusiva e na promoção da literacia digital, no contexto da estratégia de educação para a cidadania, avaliando o seu impacto, e procedendo aos reajustes necessários com vista a um efetivo impacto no processo de aprendizagem.

Conteúdos

Sessão 1: Introdução (3 horas) 1.1. Apresentação dos formadores, formandos, conteúdos da formação e critérios de avaliação; 1.2. Apresentação da plataforma em que se irá desenvolver a ação;1.3. Diagnóstico e reflexão sobre as expectativas dos formandos em relação a esta ação e os seus conhecimentos em relação aos recursos a utilizar. 1.4. Breve reflexão sobre as áreas de desenvolvimento e aquisição das competências-base dos alunos, segundo o documento “Perfil dos alunos à saída da Escolaridade Obrigatória” 1.4.1. Abordagem sobre as metodologias de ensino e aprendizagem que caracterizam as novas exigências na educação. 1.4.2. Organizar o ensino prevendo a utilização crítica de fontes de informação diversificadas e com recurso às tecnologias de informação e comunicação. 1.4.3. Planear e conduzir pesquisas 1.4.4. Transformar a informação em conhecimento. Sessão 2: Ferramentas digitais para partilha de recursos on-line (4 horas) 2.1. Infraestrutura e tecnologia. 2.2. Modelo de dados. 2.3. Interface do utilizador. 2.4. Critérios para a escolha da plataforma digital. 2.5. Seleção da plataforma digital a utilizar. Sessão 3: Criação de um e-portefólio (4 horas) 3.1. Definição da estrutura do espaço da plataforma digital. 3.2. Curadoria e partilha de informação 3.2.1. Seleção de recursos a disponibilizar na promoção e avaliação das aprendizagens. 3.2.2. Alojamento dos recursos selecionados na plataforma digital. Sessão 4: Ferramentas digitais a utilizar na promoção das aprendizagens e na avaliação (4 horas) 4.1. Planificação de cenários de aprendizagem, em articulação com a Biblioteca Escolar, com base nos conteúdos da área que o docente leciona e que caracterizem as exigências das novas formas de ensino aprendizagem. 4.2. Modelos de pesquisa. 4.3. Ferramentas digitais para a construção de materiais e recursos de apoio ao currículo. Sessão 5: Planificação de cenários de aprendizagem (3 horas) 5.1. Fazer a planificação de uma unidade do programa curricular, identificando conteúdos, objetivos, ações a implementar, recursos e respetiva avaliação. 5.2. Criação de um recurso digital a incluir neste cenário de aprendizagem. 5.3. Alojamento na plataforma digital da planificação Sessão 6: Avaliação da plataforma digital (3 horas) 6.1. Avaliar da plataforma digital: • O propósito da avaliação como determinante da construção de instrumentos • Tipos de técnicas e de instrumentos (recolha de evidências) • Construção de um dispositivo de avaliação que permita a avaliação de: recursos disponibilizados, utilização, apoio à prática /aprendizagem dos alunos, desenvolvimento de competências digitais nos utilizadores. Sessão 7: Apresentação/partilha dos e-portefólios (4 horas) 7.1. Apresentação e avaliação dos e-portefólios. 7.2. Avaliação da ação de formação.

Metodologias

Esta ação terá a duração de 25 horas, com recurso à plataforma Moodle e a salas virtuais de comunicação. Para o seu desenvolvimento serão adotadas diversas metodologias. Cada sessão, começará por uma breve abordagem teórica dos temas e a apresentação de exemplos práticos. De seguida, os formandos individualmente ou em grupo, experimentarão diversas aplicações, serviços e plataformas de apoio ao currículo e realizarão as atividades propostas. Privilegiar-se-ão atividades que apontem novos caminhos e metodologias que se traduzam em práticas colaborativas novadoras, tendo como apoio a Biblioteca Escolar e referência ao Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade. Cada formando produzirá um portefólio digital on-line, onde irá alojar recursos de apoio ao currículo.

Avaliação

A avaliação traduz-se numa classificação final quantitativa, na escala de 1 a 10, expressa através do referencial de menções qualitativas previstas na legislação em vigor. A aprovação no curso dependerá da obtenção de classificação igual ou superior a 5 valores e da frequência mínima de 2/3 do total de horas da ação. Cada formando terá de elaborar ume-portefólio (Diário de Aprendizagem) com todos os recursos produzidos e um documento escrito individual sobre a ação, com opinião crítica sobre o valor da formação e a aplicação das aprendizagens. A avaliação final será contínua baseada nos seguintes itens gerais:- Participação nas sessões - atitudes, qualidade das intervenções, contributos e reflexões nos fóruns e conceção de recursos (30%);- Recursos pedagógicos produzidos e aplicação dos conteúdos (50%);- Relatório de reflexão crítica sobre a própria dinâmica de participação na formação (20%).Forma de avaliação da ação (facultativo)- Questionário on-line- Relatório individual de acordo com o adotado pelo centro de formação

Bibliografia

1-(Coord.), Inovar para a qualidade na educação digital. Lisboa: Universidade Aberta, pp. 63-76.2-Comissão Europeia (2020, outubro). Plano de Ação para a Educação Digital (2021-2027): reconfigurar a educação e a formação para a era digital. [comunicação eletrónica]. Disponível em https://ec.europa.eu/education/education-in-the-eu/digital-education-action-plan_pt.3-Denning, S. (2016). Do We need Libraries. Washington. Retrieved fromhttps://www.forbes.com/sites/stevedenning/2015/04/28/do-we-need-libraries/#c3ca0066cd7f4-Horta, M. J. (2020, outubro) Programa de digitalização para as Escolas: capacitação dos docentes. Noesis: Notícias da Educação, 49. Disponível emhttps://www.dge.mec.pt/sites/default/files/boletim/boletim_dge_n49_apoio_as_escolas_outubro2020.html.5-Lagarto, J. R., & Marques, H. (2015). Tablets - Mudando paradigmas do ensinar e do aprender. Porto: Universidade Católica Editora.

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 07-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 14-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 21-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 28-03-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 18-04-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 02-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 09-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 16-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

216
176

Capacitação Digital de Docentes – Nível 2
Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Oficina

 

50.0 horas

 

b-learning

 

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária de Azambuja

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um ...
Ler mais Ler menos

Ref. 135C17.8 Inscrições abertas até 14-04-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116497/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 18-04-2023

Fim: 27-06-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Azambuja

Formador

Liliana Cristina Pimentel Leal

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

Razões justificativas da ação e a sua inserção no plano de atividades da entidade proponente. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Conteúdos da ação Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. (2 horas) - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. (3 horas) - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. (4 horas) - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. (4 horas) - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. (4 horas) - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. (4 horas) - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida. (4 horas)

Metodologias

Presencial As sessões serão teórico/práticas, realizadas em regime a distância, síncronas. As metodologias incluirão método expositivo, demonstrativo, interrogativo e ativo, resolução de problemas e realização de trabalhos práticos. Haverá abordagem teórica; Planificação da ação a realizar; Adaptação da atividade ao contexto de cada professor; Aplicação da atividade por cada professor; Análise dos processos e dos produtos; Avaliação do trabalho desenvolvido; Conclusões. Momentos de reflexão teórica, debate, realização de atividades por parte dos formandos e apresentação e discussão conjunta das produções obtidas configura espaços de partilha de experiência sobre a aplicação da proposta, sendo feita a sua análise em termos práticos e teóricos. Trabalho autónomo Adaptação das atividades construídas de forma a se adequar ao contexto de cada docente. Em seguida, haverá a aplicação na sala de aula de cada professor dessas atividades. Os formandos terão suporte dos formadores online se necessário. Reportarão depois a forma como decorreu a aplicação dessas atividades nos seus contextos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm; Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legalcontent/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora; Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf; Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-04-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona
2 02-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 09-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
4 16-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 23-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 30-05-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
7 13-06-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 27-06-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

176
208

As lideranças na promoção de ambientes educativos inclusivos
Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Curso

 

25.0 horas

 

Presencial

 

Diretores e Coordenadores

Escola Secundária de Azambuja

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam aspolíticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação esucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, ...
Ler mais Ler menos

Ref. 143C6.1 Inscrições abertas até 22-05-2023

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116317/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 26-05-2023

Fim: 03-07-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Azambuja

Formador

Elvira Felicidade Ferreira Rodrigues Tristão

Destinatários

Diretores e Coordenadores

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Diretores e Coordenadores. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Lezíria-Oeste

Razões

Inclusão, equidade, cooperação, solidariedade, responsabilidade e interligação, são conceitos-chave que enformam aspolíticas e as práticas educativas. Assegurar o direito de todos à educação é garantir acesso, presença, participação esucesso em processos educativos de qualidade. Os atores educativos, nomeadamente lideranças de topo e intermédias, são figuras essenciais na educação e natransformação social. Acolher e apoiar todos os alunos, independentemente das suas capacidades e exigências, são dois compromissos éticose profissionais indiscutíveis. Uma escola inclusiva exige uma liderança eficaz, capaz de apoiar e promover o envolvimento de toda a comunidadeescolar. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão. Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade. Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativosfavoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo. Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola. Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos. Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva. Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão.

Conteúdos

1. Enquadramento teórico e normativo 1.1. Quadro conceptual Os direitos humanos e as políticas de inclusão. Justiça distributiva e éticas do cuidado. Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades. O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação. 1.2. Quadro normativo de referência Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias). O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual. Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA. 1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.] 2. Concretização das políticas de inclusão 2.1 As escolas e as práticas A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade. 2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem. Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão. 2.3. Os recursos para a inclusão A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva. 2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.] 3. Conhecer, partilhar, decidir 3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos 3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório [trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.] 4. Avaliação Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos

Metodologias

Exploração dos temas propostos, com adequado suporte teórico. Reflexão, análise e discussão em grupo, com recurso a fontes documentais pertinentes. Debate em plenário. Elaboração individual de trabalho/produto final da ação, em função dos interesses dos formandos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado pelos formandos.

Bibliografia

Cerna, L. et al. (2021) Promoting inclusive education for diverse societies: A conceptual framework. Disponível em: Promoting inclusive education for diverse societies : A conceptual framework | OECD Education Working Papers | OECD iLibrary (oecd-ilibrary.org) Eurydice (2020). A equidade na educação escolar na Europa (trad. Lisboa: DGEEC/Unidade portuguesa de Eurydice). Disponível em: https://op.europa.eu/en/publication-detail/-/publication/517ee2ef-4404-11eb-b59f-01aa75ed71a1/languagept European Agency for Special Needs and Inclusive Education (2021). Inclusive School Leadership: A Tool for Self- Reflection on Policy and Practice. (M. Turner-Cmuchal, E. Óskarsdóttir and M. Bilgeri, eds.). Odense, Denmark. Disponível em: https://www.european-agency.org/sites/default/files/SISL_Self-Reflection_Tool.pdf Pereira, F. (Coord.). (2018). Para uma Educação Inclusiva. Manual de Apoio à Prática. Lisboa. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. Disponível em: https://dge.mec.pt/sites/default/files/EEspecial/manual_de_apoio_a_pratica.pdf UNESCO (2022). Reaching out to all learners: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. Geneva: UNESCO, IBE. Disponível em: http://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supportinginclusion- and-equity-education

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-05-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 29-05-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 02-06-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 05-06-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 23-06-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
6 26-06-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 30-06-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 03-07-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

208